Como são as redações das applications para cursar uma faculdade no exterior?

Aug 03, 2020

O processo seletivo para universidades no exterior é bem diferente daquele que existe aqui no Brasil. Para ser aceito em uma universidade nos Estados Unidos ou no Canadá, por exemplo, o nível acadêmico do candidato é apenas um dos aspectos analisados pelas universidades.

As notas nos últimos quatro anos do colégio e as notas das provas padronizadas (SAT ou ACT) mostram em números que tipo de aluno você é. Mas as universidades querem conhecer o candidato além das suas notas. Querem saber como ele pensa, que experiências ele carrega, como ele é, sua personalidade, suas habilidades, suas preferências, como age e se relaciona em diversas situações.

Com um processo seletivo holístico, além de conhecer melhor os candidatos, as universidades têm a possibilidade de perceber se o perfil de cada um deles combina com o perfil da universidade. Afinal, cada instituição também tem suas próprias características.

E para isso elas utilizam algumas ferramentas tão ou mais importantes que as notas e as provas. A principal delas é a redação ou essay. Justamente por ajudar os avaliadores a criarem uma imagem completa do candidato, os temas dessas redações, diferentemente daqueles que aparecem em processos seletivos no Brasil, têm um caráter bem mais pessoal.

Por isso, é imprescindível ser autêntico e muito verdadeiro ao escrever estas redações.

Os temas das redações

Seja qual for o tema que você vai desenvolver, saiba que nas suas redações de alguma forma você vai falar de si mesmo. De experiências, de valores, de pensamentos, do que gosta, do que não gosta, do que acredita, do que já fez, do que gostaria de fazer… Enfim, vai precisar utilizar uma boa dose de autoconhecimento para poder se mostrar de forma genuína para as universidades aonde aplica.

Para você ter uma ideia mais concreta de como são as redações, seguem alguns exemplos de temas que costumam ser comuns nas applications:

No Common App (plataforma que contempla applications para centenas de universidades nos Estados Unidos):

–      Conte sua história

–      Fale sobre os obstáculos que já encontrou na sua vida e como os superou.

–      Fale sobre algum problema que já enfrentou e conte como o solucionou.

–      Conte sobre seu crescimento pessoal

–      Fale sobre algum momento em que você questionou seu ideais.

Temas sugeridos por algumas universidades fora ou além do CommonApp:

–      Por que você gostaria de estudar nessa universidade?

–      Por que escolheu este major?

–      Qual o seu livro preferido?

–      Fale sobre uma atividade extracurricular importante para você.

Algumas universidades apresentam temas mais inusitados, que acabam exigindo bastante criatividade do candidato:

–      Onde realmente está o Wally? (University of Chicago)

–      Pense em alguma coisa que te fascinava quando você tinha 10 anos. O que permanece hoje? (Wake Forest)

–      Um pacote chega à sua porta. Depois de ver o conteúdo, você percebe que será o melhor dia da sua vida. O que há dentro e como você passa esse dia? (Brandeis University)

–      Defenda uma opinião impopular que você tem. (University of Notre Dame)

–      Você é chamado para passar o próximo ano no passado ou no futuro. Para onde você gostaria de ir e por que? (University of Richmond)

–      Escolha uma mulher na história ou na ficção para conversar por uma hora e explique sua escolha. Sobre o que vocês conversariam? (Barnard College)

Seja você, seja único!

De forma mais direta ou indireta e independentemente do tema, o que as universidades querem com as redações é conhecer melhor o candidato. A imagem que os avaliadores vão criar a partir da redação do aluno vai se juntar às outras peças da application, como um quebra-cabeça. Com certeza, esta é uma das peças mais importantes do puzzle, porque é aquela que consegue diferenciar um candidato dos outros.

Fazer uma boa redação que se sobressaia aos olhos dos avaliadores não é simples, claro. Exige algumas técnicas e habilidades, que devem ser aprendidas e bastante treinadas. Mas elas podem não ser suficientes se o candidato não tiver em mente que, além de ser genuíno e verdadeiro, é fundamental pensar em ser único ao escrever a redação. Muito mais do que tentar agradar, o aluno precisa colocar a sua verdadeira essência nas palavras para transmitir quem realmente é e o que o diferencia dos demais candidatos.

A redação é, portanto, o instrumento mais poderoso que você tem para fazer a universidade perceber como ela pode se beneficiar ao ter uma pessoa como você nas suas salas de aula. E lembre sempre que o avaliador lê inúmeras redações diariamente e a sua precisa se destacar para você não ser mais um no meio de uma “multidão” de candidatos. Seja você, seja único!

Fonte: DAQUI PRA FORA 

Inscreva-se e receba informações sobre investir e Imigrar para os Estados Unidos

Close

50% Complete

Two Step

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.